sábado, 11 de agosto de 2012

Adversidades

" - Como você pode rir disso?"
" - Chorar resolve? Se resolver eu deixo todo o glamour de lado e encaro até alguns soluços. Se é para fazer, que seja bem feito."

Ele me acha louca. Eu sei disso! Sei também que a semana inteira foi barra pesada. Saca aqueles dias em que nada dá certo? Se eu não tivesse a maturidade de uma criança de cinco anos apenas explicaria que fatalidades acontecem.

A vida, às vezes, é uma droga mesmo! Chame de destino, acaso, carma, não importa... nem tudo sai como o planejado. Porém, quando uma situação é muito trágica ela parece adquirir um aspecto ridículo - e me desculpem os mal-humorados de plantão - mas quando várias delas ocorrem em um dia, só rindo mesmo. E quer saber? Se você não consegue rir dos seus defeitos, dos defeitos dos outros ou das pequenas desgraças, o meu desejo é que uma imensa distância nos separe.

Talvez eu tome um porre. Ou fume uma carteira de cigarros. Mas sinceramente aprovações ou reprovações alheias não me interessam, afinal, essa é a única maneira que encontro de sobreviver a tudo isso.


15 comentários:

  1. É isso mesmo, Helena, como dizem, rir é o melhor remédio. Melhor não esquentar a cabeça, afinal tudo passa...

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Roderick. São fases. A vida seria muito sem graça se tudo fosse perfeito.

      Bjão.

      Excluir
  2. Respostas
    1. Vamos, meu bem.
      Só espero que não seja para afogar as mágoas e sim, para comemorar ;)

      Beijo.

      Excluir
  3. "Se eu não tivesse a maturidade de uma criança de cinco anos, apenas explicaria que fatalidades acontecem."
    Simplesmente perfeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Abel.
      Nada mais do que a pura verdade =)

      Excluir
  4. Eu concordo que rir é ótimo, mesmo que a moralidade nos ensine que não deve ser assim, temos que assumir que é bom rir dos outros. Mas fazer o que, rir nos deixa mais leve. Talvez tudo na vida seja rir dessas coisas mesmo, não de forma depreciativa, mas de maneira a encarar melhor nossos estranhamentos....

    Gostei do texto, um jeito descolado de dizer coisas profundas, acho que é bacana!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jeff. Fico feliz por vc ter gostado.
      É bom, sim, rir dos outros. Mas, melhor ainda, é rir de nós mesmos. Eu não sei viver de outra forma.

      Beijos.

      Excluir
  5. Oi, Helena. Obrigado pela visita no blog. É realmente uma pena que não possas ter mais cachorros. Pena também porque seria ótimo te conhecer pessoalmente. Tu já vieste ao Rio Grande do Sul conhecer alguém? Eu já fui a Curitiba uma vez. Vi a sua cidade vazia, no fim do ano, mesmo assim gostei muito. Sempre disse que voltaria para vê-la melhor, mas ficou só no plano. E isso já tem 10 anos.
    Tenho acessado bem menos a internet, mas nunca deixo de dar uma olhada nas tuas coisas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Telmo!
      Na verdade, já fui ao RS duas vezes, apenas em viagens curtas, portanto, nunca pude aproveitar realmente. Há alguns anos, de passagens compradas, desisti da idéia na última hora. Mas pretendo um dia voltar - aí te chamo para uma café (ou uma cerveja!) ;)
      Em relação a Curitiba, é uma cidade bonita, sim. Não tem graaandes atrativos, mas mesmo assim, vale a pena.

      Bjão.

      Excluir
  6. Essa parte "Se você conseguiu chegar até aqui, é porque teve paciência suficiente para agüentar minhas insanidades. Prometo agüentar as suas também... vai! Me diz aí o que você pensa."
    Achei incrivel e plagiei, algum problema? Se tiver, eu retiro imediatamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Abel.
      Problema nenhum.
      Fique à vontade!

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Seus textos conseguem fazer algo comigo que somente a tristeza era capaz.
    Eles me dão inspiração.
    Por favor, continue escrevendo. SEMPRE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Abel.
      Não há forma de agradecer pelo incentivo.
      Obrigada, de coração.

      Bjão.

      Excluir

Se você conseguiu chegar até aqui é porque teve paciência suficiente para agüentar minhas insanidades. Prometo agüentar as suas também... Vai! Me diz aí o que você pensa.Tenho certeza de que vou adorar!