sexta-feira, 2 de julho de 2010

As aparências enganam

Quem observa o sorriso fácil e bom humor constante geralmente engana-se achando que a convivência será simples - uma arrogância inata, o perfeccionismo e uma grande dose de egoísmo fazem parte de minha personalidade. Não sou adepta à falsa modéstia, assim, tenho plena consciência de minhas qualidades, porém, sei que alguns defeitos são difíceis de superar, beirando o insuportável, certamente.

Ontem, dois amigos que comentavam sobre meu temperamento, afirmaram que sou uma dinamite prestes à explodir e que cinco minutos após a tempestade, já nem me lembro do ocorrido - apresentaram isso de forma positiva, pois de acordo com suas opiniões, não haveria rancor a ser guardado. Na hora admito que concordei, contudo, refletindo mais tarde preciso reconhecer que nem sempre é assim, afinal de contas.

Por muito tempo sofri em silêncio, mas hoje, não hesito em arrancar de minha vida pessoas que me fazem mal. E para mim é um caminho sem volta, não existem lágrimas que me façam voltar atrás; tudo é muito bem pensado e calculado para não agir precipitadamente - foi assim com meu pai e minha melhor amiga, após uma relação de duas décadas: simplesmente deixaram de existir para mim.

Às vezes penso que consigo odiar na mesma proporção em que amo, ou seja, em excesso. Dificilmente me arrependo de minhas escolhas, mas sempre estarei disposta à arcar com as conseqüências...

12 comentários:

  1. chega a ser poetico as formas q nossa mente arranja pra se defender, nao?

    ResponderExcluir
  2. E o bom é isso, ser franca consigo e com os outros. As consequências, a gente administra como pode.

    ____________________

    Vou para Curitiba dia 23/07, vai ser algo super rápido, mas se puder fornecer algumas dicas, agradeço imensamente. Vc é minha única leitora do Paraná. :-)

    ResponderExcluir
  3. O amor e o ódio...são excessos em si mesmo...

    ResponderExcluir
  4. Gosto das palavras que escolhe, das descobertas de si, das direções que olha, dos passos que dá... toda vez que é você...

    ResponderExcluir
  5. =/

    Na verdade acho a vida uma vai e vem.....uma espiral que traz e leva as coisas. Claro que podemos escolher, mas o que realmente vale a pena?!

    Boa sorte....e que isso sim, talvez apenas esta coisa em excesso faça bem...sorte...=)

    ResponderExcluir
  6. Olá Helena!

    Lendo o que escreve, parece que não terá vida fácil em conviver consigo mesma.É verdade, nós somos o que somos, e só nos resta aceitar tal facto, procurando ser honestos com nós próprios, e com os outros. Os nosso amigos, se o são, acabarão por aceitar-nos pelo que somos.

    Beijinhos.
    Vitor

    ResponderExcluir
  7. Enzo, eu diria que é auto-preservação ;)

    AD, mentir para os outros é péssimo, mas mentir para mim mesma, seria patético. E quanto às dicas, te passarei, se realmente quiser.

    Talvez tenha razão, Bento. Mas de qualquer forma, nunca gostei mesmo de emoções mornas.

    Rodrigo, sabe que vc anda me acostumando mal, não sabe? Querido, como sempre...

    Soninho, na verdade, posso não saber o que realmente vale a pena, mas após algumas tentativas, descubro o que não vale, e aí sim, paro de insistir. Obrigada, sorte nunca é demais.

    Vitor, considero todas as relações complexas, inclusive a que tenho comigo mesma. Mas de forma alguma, pretendo conquistar alguém fingindo ser quem não sou.

    Beijo grande para vcs.

    ResponderExcluir
  8. Oi Helena,

    As aparências sempre enganam mesmo... A questão é saber qual das muitas aparências refletem a realidade das coisas, das pessoas. Quem sou eu para dixer algo contra, afinal fazemos nossas escolhas e elaboramos nossos próprios scripts... É como você bem colocou: "Arcar com consequências", espero que sejam compensatórias! Bjksss

    ResponderExcluir
  9. As aparencias sempre enganam, é assim mesmo.
    Tentamos não jular pela aparencia, mas eu nunca consigo.
    E que continue a afastar as pessoas que te fazem mal, faz bem isso.
    Eu tenho alguns arrependimentos, mas que eu esqueço a parte triste e deixo o aprendizado (se é que em todos os meus arrependimentos tem algum aprendizado, mas enfim heheh).
    Beijos!
    =]

    ResponderExcluir
  10. Rockson, nem sempre acabam como o esperado, mas faz parte, não é mesmo?

    Rafael, tudo serve de experiência. Afinal não dizem que alguns aprendem com erros alheios, e outros, só errando? Faço parte do segundo grupo, com certeza... mas sempre há tempo, eu acho.

    Bjão!

    ResponderExcluir
  11. Temos muita coisa a aprender, apesar de as vezes nos acharmos sábios demais...
    Temos de ser nós mesmos, mesmo quando é preciso atuar... o sinismo nos rouba o carácter...
    As aparências enganam, sim, mas precisamos prestar atenção aos sinais... pequenos porém grandes sinais... amostras de personalidades que nos permitem enxergar antes de avançar ou recuar...

    Enfim... "é preciso saber viver"...

    ResponderExcluir

Se você conseguiu chegar até aqui é porque teve paciência suficiente para agüentar minhas insanidades. Prometo agüentar as suas também... Vai! Me diz aí o que você pensa.