domingo, 6 de junho de 2010

Temores

Há quem diga que o medo é um poderoso inimigo; já outros o encaram como instinto de auto-preservação. Confesso que tenho alguns medos sem muitos fundamentos: de altura, de escuro e de cavalos. Sim! Parece patético mas eles ainda continuam comigo, embora muitos tenham sido superados no decorrer do caminho, principalmente, o medo da solidão.

O fato é que tive uma notícia inesperada: uma ex-colega de faculdade suicidou-se há pouco tempo. Na realidade nunca tivemos muito contato, ela era muito agradável, me elogiando sempre ou fazendo comentários sobre quando me observava em serviço; mas foi o máximo que ocorreu entre nós - a troca de alguns sorrisos, uma ou outra palavra sem relevância nenhuma.

Esse caso me fez refletir sobre assunto e cheguei à conclusão de que não tenho tanto medo da morte, e sim, da dor. Ainda não sei se devo considerá-la corajosa demais por ter enfrentado o desconhecido ou extremamente covarde por ter fugido de determinada situação. Enfim... talvez esse seja mesmo o maior exemplo de liberdade, uma escolha decisiva: deixar de viver quando quisermos.

A única certeza que tenho é que por pior que seja, ainda é bom viver!

10 comentários:

  1. Complicado, esse lance de "ter poder" de tirar a própria vida, já pensei tanto nisso saca? Mas não tenho coragem.
    E ultimamente tenho acho viver tão bom, hahaha a vida tem altos de baixos, mas sei la... É bom.hasushasuas
    Beijão =*

    ResponderExcluir
  2. Pra uma pessoa chegar a esse ponto é porque ela não encontrou saída pra nenhum de seus problemas. Muito complicado, e quem sofre com isso são os amigos e a família, aflora um sentimento de culpa terrível, "eu poderia estar mais próximo".

    ResponderExcluir
  3. (-_-) Tema delicado hein..eu mesmo no passado já tive pensamentos suicidas, mas Graças a Deus meu medo de dar errado e sobreviver com sequelas sempre foi maior, principalmente por conhecer pessoas que tentaram o suicidio e falharam e vivem até hoje com terriveis sequelas e arrependidas...
    Do meu ponto de vista e com base no pouco que ja li sobre o assunto, o suicidio é a expressão maxima da Solidão, do Desespero, da Angustia, da Derrota.....

    "SUICÍDIO

    Ainda lembro o momento preciso em que minha mão, perdida no espaço, à espera de um aviso, de um sinal, manipulasse com total destreza o gatilho e completasse o quadro há tanto tempo planejado pela minha mente.
    Mente insana, entorpecida pela droga, pelas más companhias, pelo ódio e pela vaidade.
    Mente desequilibrada.
    E eu, nada pude fazer contra o relógio que assinalava 5 horas da tarde... Olhei-o, como quem olha o tempo escoando, indo-se com o vento...
    Fui. Fui para não mais sofrer a minha fraqueza. Fui para tentar ser mais forte.
    Fui em busca do vazio. E o vazio me deixou a ver que nada sou, senão eterno.
    Tentei lutar contra tudo. E tudo me mostrava que não era para ser lutado, mas sim, enfrentado. Não enfrentei a minha falta de coragem. E no entanto, a encontrei para apertar o gatilho.
    Que grande comédia foi minha vida!
    Hoje, perdido ainda me encontro, pois ainda vacilo quanto ao caminho a seguir.
    Sei que muitos se apresentam à minha frente, mas poucos me levarão à direção certa.
    Espero que Deus me ajude.
    Ele sempre me ajudou. Peço, então, diferente: Espero que eu possa ouvir os conselhos de Deus a me guiar para os caminhos que me levem à paz."


    "FIM?

    São exatamente 12 horas.
    Me preparo pro fim.
    Fim de um breve filme.
    Escrito por mim.
    Inacabado por falta de forças.
    Resolvi terminá-lo como muitas das ficções que assisti.
    Comprimidos com whisky.
    Que trágico fim!
    Me deitei após ingerir um vidro de calmantes.
    E a cada dois comprimidos bebia um pouco do que estava no copo. Levava para dentro do meu corpo o que resultaria numa parada total de mim.
    Lençóis brancos na imensa cama, a luz do abajur acesa, revistas, sapatos, roupas, espalhadas pelo quarto e, para completar a cena, uma carta endereçada a meus pais. Preciso fechar com chave de ouro o final dessa cena.
    Queridos pais...
    Obrigado...
    Me perdoem...
    Não chorem...
    E hoje, depois de muito penar, choro por tudo, arrependido pelo fracasso gerado pelos sentimentos de avareza com que via tudo como sendo apenas meu.
    Fui bastante fraco, bastante intransigente e deu no que deu.
    Vou voltar e, com certeza, vou querer ter comprimidos e bebidas perto de mim. Não tomarei, não farei isso de novo! E que Deus me ajude a fazer o que prometi a mim, simplesmente a mim."

    Bomm deixa eu parar por aqui, e pra Vc um Grandeeeeeee e Imensoooooo

    Bjo, Qjo e Uma Taça de Vinho
    ^)3(*^_^*)

    ResponderExcluir
  4. A morte não é uma escolha e sim o fim de poder escolher o que a vida nos apresenta todos os dias.

    ResponderExcluir
  5. É Carol, é muito bom sim. Eu gosto das surpresas que, de vez em quando, vem pela frente.

    Kleiton, talvez seja uma atitude desesperada. E quanto a quem fica, deve ser muito doloroso, mas algumas pessoas simplesmente não demonstram seus sentimentos, não há como saber, de qualquer forma.

    Marcelinho, tema delicadíssimo mesmo, um caminho sem volta. A possibilidade de algo dar errado e ter que viver na dependência de outras pessoas me assustaria ainda mais, concordo contigo.
    Adorei os textos.

    Talvez, sim, Raphael. Não tenho uma opinião formada nesse assunto, pelo menos, por hora.

    Beijo grande para vcs!

    ResponderExcluir
  6. Os ditos temores...
    O que seríamos sem eles? Como imaginar a nossa atual condição, sem a existência deles?
    Penso que há temores que nos fazem refletir sobre aquilo que temos como LIVRE ARBÍTRIO... E outros nos fazem perceber que de fato o livre arbítrio, pode em muito nos prejudicar.
    Gostaria de considerar Sartre... Ele dizia que [somos livres], mas que nossa liberdade influenciaria a vida de todos - a idéia de uma coméia?
    Temores existem e sempre existirão... Sempre há de existir os resquícios de uma infãncia, e assim o medo do escuro, dará lugar ao medo do desconhecido, da mesma forma que o medo a respeito do "bicho papão", figurará como o temor angustiante aos criminosos.
    Quanto ao suicídio... Espero que não confabules sobre tal, afinal há coisas que permaneceram sem respostas - como cartas que nunca chegarão...

    ResponderExcluir
  7. Sim, Rockson, provavelmente são os temores que nos impõe vários limites.Gostei de seu comentário, porém, seria inevitável pensar sobre o assunto, já que ele está presente no dia-a-dia.

    Bjão.

    ResponderExcluir
  8. que triste, suicidio sempe é uma coisa que choca muito. ainda mais quando conhecemos a pessoa.

    ResponderExcluir
  9. É sim, Edim. Talvez eu tenha grandes problemas com esse tal de "nunca mais".

    ResponderExcluir

Se você conseguiu chegar até aqui é porque teve paciência suficiente para agüentar minhas insanidades. Prometo agüentar as suas também... Vai! Me diz aí o que você pensa.