quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Paciência tem limite


Definitivamente não é fácil lidar com pessoas e a cada dia isso torna-se mais evidente para mim. Estou no mesmo ramo há quase sete anos e não canso de me surpreender: por favor, desculpe e obrigado, são palavras praticamente inexistentes no vocabulário de diversos clientes.

Não me vejo de forma alguma passando meu dia enfurnada em uma sala, fazendo cálculos ou mexendo em papéis; pelo contrário, adoro trabalhar com o público e isso foi opcional. Observar as características de cada um, apreciando suas singularidades, faz com que o tempo passe mais rápido. O trabalho é a longo prazo e não há modo de se evitar o envolvimento; porém, trabalhar sempre com um sorriso no rosto, tentando desdobrar-se em mil para atender à todos, eu definiria (no mínimo) como desgastante.

Curitibanos adquiriram a fama de que não conversam com estranhos, sendo taxados de chatos, desconfiados e mal educados. Muitas vezes (admito!), me pego concordando com essa generalização absurda. Paro, respiro, conto até cem, tento resgatar meu autocontrole (que nesse instante encontra-se lá no pé!) e procuro pensar que deve ser apenas reflexo de uma educação recebida e que alguns tipos estão em toda parte, independente da região. Mas de uma coisa eu tenho absoluta certeza: é um exercício constante de paciência! Ah, isso é...

3 comentários:

  1. Espaço feito com muita seriedade, boa escrita, temas do quotidiano...vim para ficar...

    ResponderExcluir
  2. Curitabanos taxados de chatos, desconfiados e mal educados.
    Talvêz porque adquiriram um status diferente do resto das grandes cidades do Brasil. Em comparação São Paulo é cosmopolita, erudita e com uma vida nocturna incomparável. O Rio, falar do Rio não se fala ele é sol, música, dança e alegria; tudo o que faz bem ao coração e a alma. Salvador: é mulata, é misticismo, curtir a vida no mais lento possível... e por ai vai. Curitiba é riquinha, bem cuidada, verde e orgânica, muito ecológica, muito lógica, muito certinha, daí os curitibanos acharem que chegaram ao limite do éden e não querem dividir o bom ar que a cidade em si aparenta...
    Mas é só uma opinião minha, nada está cientificamente provado.

    Beijo

    ResponderExcluir

Se você conseguiu chegar até aqui é porque teve paciência suficiente para agüentar minhas insanidades. Prometo agüentar as suas também... Vai! Me diz aí o que você pensa.